Curso de Expressão Verbal

Ajuda profissional melhora discurso - Jornal de Jundiaí - 11 mar 12

Opinião de especialista

"Ajuda profissional melhora discurso"

'Discurso para grandes plateias é hora do show: gestos largos e volume alto de voz'

'De maneira geral os políticos não sabem estruturar o pensamento de forma lógica e concatenada. Usam vocabulário inadequado, e falam da mesma maneira como se os ouvintes tivessem o mesmo nível cultural, mesma faixa etária e mesmas necessidades. Muitos não sabem explorar o que possuem de melhor na comunicação.' Assim, o mestre em Ciências da Comunicação, professor de oratória nos cursos de pós-graduação em Marketing Político na ECA-USP e autor de 20 livros sobre a arte de falar em público, Reinaldo Polito, resume os principais erros dos políticos ao discursar. Polito já foi procurado por diversos políticos de Jundiaí, como é o caso do deputado federal Luiz Fernando Machado. Para ele, existem políticos que nunca fizeram curso e que conseguem fazer bons discursos. 'Errando e acertando, eles foram encontrando o próprio caminho. Muitos que se vangloriam de nunca terem feito cursos, mas talvez não saibam quanto seriam mais competentes na tribuna se tivessem procurado ajuda. O que o político mais faz na vida é falar. Se ele aperfeiçoar sua comunicação mais competente desempenhará suas funções', acredita o especialista.

Dicas - Para Polito, quanto maior o público e mais inculto, mais largo e abrangente deve ser o gesto e maior o volume da voz. Quanto menor o público e mais bem preparado intelectualmente, mais moderado deve ser o gesto e mais baixo o volume. Sobre os famosos ‘brancos na comunicação’, quando se esquece o que se pretendia falar, Polito diz que ninguém está livre isso. 'O importante é não se desesperar e lançar mão de alguns recursos. Por exemplo, ao se esquecer da sequência da fala poderá dizer: ´na verdade o que eu quero dizer é...´. Com esse artifício o orador se obriga a recontar a mensagem por outro caminho e pode se livrar da situação incômoda', recomenda.

Emoção - Outra dica para quem vai fazer discurso para plateias numerosas é tentar atingir mais a emoção que a razão. 'Gestos largos, acima da linha da cabeça, volume de voz elevado, pausas bem expressivas, quase exageradas. É o momento do show. E todo esse espetáculo precisa ser feito sem que a pessoa demonstre artificialismo. Quanto mais natural ele se mostrar mais credibilidade terá'. Sobre a tribuna de uma Casa de Leis, Polito é enfático: 'O vereador não pode falar na câmara de vereadores como se estivesse num palanque. Da mesma forma, o senador deve ter um comportamento diferente no Senado do que teve na época da campanha'.