Cada vez mais percebemos que falar bem, ter carisma e bom-humor são qualidades que influenciam diretamente em nossas atividades pessoais e profissionais. Para dar dicas de como ter sucesso ao se expressar, superando o medo e a timidez, conversamos com um dos maiores mestres de oratória no Brasil, Reinaldo Polito, autor de 21 livros com mais de 1 milhão de exemplares vendidos e atual colunista de comunicação, carreira e comportamento no Uol.

MBNews: Qual a relação do “falar bem” com o sucesso profissional?
Polito: Os primeiros estágios de uma carreira profissional dependem quase que exclusivamente do conhecimento técnico. Depois dos primeiros postos hierárquicos, embora o conhecimento técnico continue sendo relevante vai perdendo importância para a comunicação. Ao assumir funções mais elevadas o profissional participa com mais frequência de reuniões, negociações e eventos, apresentando projetos, discutindo propostas, concedendo entrevistas e tantas outras tarefas que exigem comunicação eficiente, segura e desenvolta.
Se tiver capacidade para se expressar bem em público terá dado um passo importante para ocupar funções de destaque nas organizações. Se, ao contrário, tiver dificuldade para se apresentar em público poderá ter seu crescimento estagnado e, em situações mais graves, até perder as posições conquistadas ao longo da carreira.

MBNews: Como deve ser a conversa em um ambiente de trabalho?
Polito: A conversa precisa ser sempre interessante. Exceto nas situações que tratam de problemas graves, a conversa deve ser leve, descontraída, solta, bem-humorada, espirituosa. Antes de saber falar, o bom conversador precisa saber ouvir. E saber ouvir não significa ficar parado com aquela ‘cara de paisagem’. Pressupõe que a pessoa indique que está acompanhando com interesse a conversa, fazendo perguntas, usando a fisionomia para demonstrar curiosidade, surpresa, indignação e todas as reações que correspondam ao que esteja sendo narrado. Quem souber considerar todas as pessoas em uma conversa aumenta as chances de sucesso. Por isso, principalmente quando pessoas tímidas estiverem no grupo, procure motivá-las para que participem da conversa. Faça perguntas simples, ligadas às atividades delas, ou sobre assuntos que possam tratar com facilidade como viagens que realizaram ou projetos que desenvolvam. Conversar bem não significa falar muito. Ao contrário, quem fala demais se torna chato e indesejável. É preciso também evitar a tentação de se tornar o ‘bobo da corte’. Fazer gracinha o tempo todo pode tornar o comportamento vulgar, prejudicar a imagem e comprometer a credibilidade.

MBNews: Quais os 10 principais erros que as pessoas cometem ao falar?
Polito: Temos de considerar que o que pode ser um erro em certa circunstância com determinada pessoa, pode também ser um acerto e comportamento recomendável para outra pessoa em contexto diferente. Observando essa relatividade da regra, os principais erros são:
1 – Fazer apresentações sem ter domínio do assunto.
2 – Não ter organização do raciocínio, com começo, meio e fim.
3 – Demonstrar comportamento que evidencie falta de naturalidade.
4 – Falar alto ou baixo demais.
5 – Imprimir tom único, monocórdio, cansativo, sem ritmo.
6 – Pronunciar mal as palavras tornando a fala incompreensível.
7 – Usar vocabulário técnico diante de pessoas leigas no assunto tratado.
8 – Fazer uso frequente do né? no final das frases, ou do ããããã nas pausas.
9 – Gesticular demais, ou não fazer gesto nenhum.
10 – Falar sem considerar as características e interesse dos ouvintes.

MBnews: Como vencer o medo de falar em público? Às vezes, mesmo entre colegas de trabalho, muitas pessoas têm dificuldade em se expressar.
Polito: Para vencer o medo de falar a pessoa precisa:
– Conhecer o assunto com a maior profundidade possível. Não basta conhecer superficialmente o assunto e achar que está pronto para enfrentar as plateias. É preciso ter assunto de sobra para se sentir à vontade. Se tiver de falar por meia hora, deve ter assunto para pelo menos uma hora. Esse estoque extra de informações dá mais tranquilidade ao orador.
– Saber como iniciar, preparar, desenvolver e concluir a apresentação. Depois de cumprimentar as pessoas o orador pode agradecer ao convite que recebeu e mostrar claramente o benefício que os ouvintes terão com o tema. Em seguida deve esclarecer o assunto que irá abordar e o problema que pretende solucionar. Feito isso é o momento de apresentar a solução do problema levantado, usando os argumentos de que dispuser. Cabe aqui uma história para ilustrar a solução. Finalmente a conclusão da fala, pedindo que os ouvintes reflitam ou ajam de acordo com a mensagem ou a proposta.
– Praticar bastante. As oportunidades para falar em público estão à nossa volta. Por isso, devemos fazer perguntas em palestras, apresentar ideias em reuniões, apresentar projetos. Mesmo no início não se sinta muito confortável é importante enfrentar as situações para adquirir experiência de falar em público.
– Identificar as próprias qualidades de comunicação. De todas as orientações para adquirir confiança esta talvez seja uma das mais difíceis. O ideal seria contar com um professor de oratória que pudesse ajudar. Se não for possível, é preciso se concentrar de forma dedicada nessa tarefa. Saber se tem boa voz, se sabe contar histórias, se tem presença de espírito, se sabe gesticular ou se tem boa postura. Enfim, saber quais os pontos positivos na própria comunicação. Com a consciência de que possui qualidades de comunicação a confiança é robustecida, há uma redução na quantidade de adrenalina despejada e o medo fica sob controle. Quase todas as pessoas sentem algum tipo de desconforto quando precisam falar em público. É normal. O objetivo, portanto, não deve ser o de eliminar o medo, mas sim mantê-lo sob controle.

MBNews:  E para os tímidos, qual a dica?
Polito: A dica é começar a se expor devagar. No início o tímido deve falar para uma ou duas pessoas sobre assuntos que domina muito. Aos poucos vai ousando mais, falando para grupos maiores e sobre temas que não estejam tão ligados à sua área de atuação. Esses passos gradativos podem dar mais confiança e fazer com que a inibição não impeça a pessoa de expor suas ideias.

MBNews: Alguma mensagem final?
Polito: Vale a pena investir no aprimoramento da comunicação. O domínio da arte de falar será útil para abrir todas as portas que desejarmos. Será importante para o crescimento profissional, para o relacionamento com amigos, familiares e em todos os contatos sociais. Para isso servem os bons cursos de oratória e a leitura de livros que ensinam a arte de falar em público.

Confira mais dicas no site www.polito.com.br

Em reuniões:

  • Conheça bem os participantes e suas expectativas. Se o público tiver nível intelectual baixo, fale de forma simples e clara. Diante de pessoas melhor preparadas o raciocínio poderá ser mais complexo e abstrato.
  • Logo no início informe objetivamente os pontos que serão discutidos, os objetivos a serem atingidos e os problemas a serem solucionados.
  • Não comece batendo de frente. Se alguém não concorda com você, procure desarmá-lo mencionando antes os pontos que vocês têm comum.
  • Se você liderar a reunião evite que algumas apenas pessoas monopolizem o assunto. Faça perguntas e peça a opinião de todos.
  • Não fale fora de hora. Evite responder às perguntas específicas de outras áreas. Só dê sua opinião quando profissionais não tiverem informações e você sentir que poderá colaborar.
  • Não esconda informações. Quanto mais subsídios os participantes tiverem, mais atuantes serão.
  • Não faça brincadeiras que possam ridicularizar os participantes. Por mais descontraído que seja o ambiente não brinque com as características físicas, nem revele gafes dos outros.
  • Estabeleça horário para iniciar e para terminar a reunião. E procure cumprir o que foi combinado.

 

Fonte: Entrevista da Revista MBigucci News nº 64