Curso de Expressão Verbal

Gestos e postura para falar melhor

Sinopse

Com texto simples, prático e bem-humorado, orientações ilustradas com fotografias de personalidades da história do país e gestos interpretados pelo próprio autor, Reinaldo Polito ensina como melhorar a comunicação interpessoal apresentando um curso completo sobre o assunto.

Todas as pessoas, independentemente da formação ou atividade profissional, conseguirão, com a leitura desta obra, aperfeiçoar sua expressão verbal em qualquer circunstância, seja proferindo palestras, ministrando cursos, participando de reuniões, conversando com amigos ou familiares.

 

Apresentação

Pouco mais de duas palavras

Estou muito feliz com a realização deste trabalho. Quando comecei a escrever este livro, prometi a mim mesmo que iniciaria assim esta apresentação, mas só o faria se, depois de analisá-lo rigorosamente (não com os olhos de uma coruja que vê os seus filhos), concluísse que honestamente estava convencido de que os leitores conseguiriam aprender a posicionar-se e a gesticular, estudando atentamente cada um dos capítulos. Concluída a obra, revi cada item detidamente e senti que seria possível a qualquer pessoa de boa vontade, depois da sua leitura, penetrar os segredos da arte da postura e da gesticulação.
Esse parecer foi ratificado quando Rosélys Kairalla Eid, a quem aproveito para agradecer, ao fazer a preparação dos originais nas incansáveis noites indormidas, interpretando meus 'hieróglifos' à frente das teclas do computador, executou cada gesto recomendado, isolando sua experiência e agindo como se fosse leiga no assunto, e constatou que era possível executá-los.

Em muitos momentos precisei resistir à tentação de discorrer mais profundamente sobre determinados temas, para não avançar em outros tópicos da arte de falar e permanecer nos limites da gesticulação e da postura. Aqueles que desejarem estudar a Expressão Verbal de forma mais abrangente poderão recorrer à leitura da minha obra Como falar corretamente e sem inibições - Editora Saraiva.
Quando me lancei à aventura de escrevê-lo, não imaginava, nem de longe, os obstáculos que teria de enfrentar. Sabia apenas que era uma tarefa necessária, que precisaria ser realizada.
Objetivando mostrar como as técnicas recomendadas possuem aplicação prática, decidi colocar ilustrações com fotografias das mais diversas personalidades que fizeram e fazem a história do nosso país, tiradas no momento em que executavam o gesto indicado. Para isso fui obrigado a pesquisar mais de 200000 fotografias nos arquivos disponíveis nos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo. Além das fotografias dessas personalidades, incluí outras por mim mesmo interpretadas, mostrando, no detalhe, as posturas, os gestos e os movimentos importantes, num paciente trabalho do fotógrafo Toao Sato (Jorge), que nos tem acompanhado, fotografando os gestos dos nossos alunos, ao longo de todos esses anos.

Para certificar-me de que não estava esquecendo alguma informação significativa, assisti a mais de 60 horas de gravações em fitas de videoteipe que guardam apresentações dos maiores oradores do nosso tempo e de alunos que passaram pelo nosso Curso de Expressão Verbal, nos últimos anos.
Consultei em vão praticamente todas as bibliotecas, tentando encontrar algum material que servisse de subsídio ao desenvolvimento do trabalho. Nada encontrei e descobri assim que era o primeiro no Brasil a escrever um livro no gênero, isto é, específico para orientar a postura e a gesticulação para falar.
Um recurso que me auxiliou muito na elaboração de cada capítulo foram as anotações que sempre fiz em sala de aula. Tenho o hábito de escrever em papéis autocolantes, que grudo na carteira, as ideias interpretadas pelos mais diferentes tipos de gestos. Na época em que foram realizadas, não tinham outro objetivo além de servir na preparação das aulas, mas por sorte foram cuidadosamente conservadas. Essas anotações possibilitaram a montagem da 'orientação prática da gesticulação correta', uma espécie de dicionário de ideias para cada gesto.

Contei ainda com a ajuda dos meus quatro filhos, Roberta, Rachel, Rebeca e Reinaldo, que, com sua espontaneidade de crianças, constituíram sempre excelente campo de estudo, onde pude identificar a naturalidade do comportamento.
Agradeço a todas as pessoas que, direta ou indiretamente, contribuíram na elaboração deste trabalho, e a todos os alunos do nosso Curso de Expressão Verbal, que, ao longo de todos esses anos, errando, experimentando e acertando, construíram, com a própria experiência, o conteúdo deste livro.
Finalmente agradeço ao meu assistente e amigo leal, Professor Jairo Del Santo Jorge, que sempre me ouviu pacientemente, e com sua competência colaborou com sugestões apropriadas.


 

Prefácio

Reinaldo Polito trilha, com muita competência, o árduo caminho do pioneirismo a partir da iniciativa de criar um curso de expressão verbal há 13 anos, o que teve muito da ousadia dos empreendedores. E deu certo, graças ao conhecimento da matéria e ao domínio das técnicas de oratória que ele possui. Prova disso são os resultados alcançados pelos primeiros alunos, que foram avalistas para os demais. Agora, Polito nos presenteia com este Gestos e postura para falar melhor, obra única no gênero e de indispensável utilização para todos aqueles que precisam ou desejam comunicar-se mais corretamente e ser mais facilmente ouvidos e entendidos.

Gestos e postura para falar melhor abre um mundo novo no assunto porque diz e mostra o que e como fazer através de uma linguagem simples e de um amplo painel fotográfico que ilustra os vários capítulos do livro. 'Lembre-se de que a sua postura e as suas atitudes antes de falar poderão predispor o ânimo dos ouvintes de forma favorável ou contrária a sua apresentação'. Este alerta de Polito, logo às primeiras páginas, nos leva a entender a importância dos gestos na comunicação, o que ele confirma com exemplos de famosas figuras do passado e da atualidade do mundo político, artístico e empresarial, como Paulo Autran, Juscelino, Tancredo Neves e Ulysses Guimarães, entre outros. Com menor ou maior ênfase, o significado de cada gesto - com a intenção do orador e o que é sentido pelos ouvintes - está explicado com uma clareza que demonstra não apenas o conhecimento do autor, mas, também, a sua preocupação em pesquisar e interpretar visualmente o falado e o mostrado.

O que mais apreciamos no livro foi a forma simples e direta como cada detalhe é explicado e como cada gesto é traduzido. Gestos e postura para falar melhor é um curso completo sobre o as sunto, permitindo que cada leitor possa aprender, bastando o livro e um espelho. Ele é útil até para os mais experientes oradores, quer aqueles de aptidões naturais, os oradores autodidatas, quer aqueles que buscam o aprimoramento na arte de falar mesmo que já tenham lido o livro Como falar corretamente e sem inibições ou concluído o curso completo de expressão verbal, do próprio Reinaldo Polito.
E, para aqueles que pensam que, por ser assunto importante, a sua leitura será difícil, devemos ressaltar uma qualidade ainda pouco conhecida do autor: ele é bem-humorado. O assunto é sério, mas o leitor terá sempre um sorriso nos lábios, às vezes por se identificar com as situações ou personagens descritas, outras pela leveza do texto, que se alternam com exemplos mais sérios:
'Conta Josué Montello no seu admirável Anedotário geral da Academia Brasileira que José Maria Paranhos, futuro Visconde de Rio Branco, possuía na tribuna um cacoete: erguia o braço, dedo indicador em riste, nos momentos em que parecia mais arrebatado. E diz que, o próprio orador deu esta explicação ao seu gesto: 'Quando a ideia não vale por si para ir bastante alto, trato de suspendê-la na ponta do dedo' '.

A arte de falar bem, corretamente e sem inibições, dominando gestos e postura para falar melhor, é tema da intimidade e competência de Reinaldo Polito. Disso são testemunhas os milhares de alunos que já passaram por seus cursos em dezenas de turmas, uma das quais tivemos a satisfação de paraninfar. Conhecemos de perto o complexo mundo da comunicação verbal, que tem sido considerada matéria prima das atividades empresariais e políticas, principalmente destas, onde a identificação de parlamento é uma correta tradução da necessidade de se conversar, buscando entendimento.
O falar é instrumento importante para ofertas e propostas comerciais, para propostas de projetos políticos, assim como o é, também, para a compreensão e harmonia das pessoas nas relações humanas em todos os ambientes, em todos os momentos. Com este Gestos e postura para falar melhor você terá condições de se apresentar em público, falando para poucos ou muitos ouvintes, sem correr o risco de trocar os pés pelas mãos, evitando que seus gestos interpretem de forma diferente aquilo que você está falando ou que você se sinta como tendo mais mãos do que gostaria na hora em que estiver discursando.
Agora, faça o seu primeiro gesto correto: vire a página e comece a leitura do melhor!

 

Guilherme Afif Domingos

Resenha crítica

Ely Vieitez Lanes

Jornal “A Cidade” – Ribeirão Preto
Literatura
Hoje e Sempre

A ARTE DE DEMÓSTENES
Gestos e Postura para Falar Melhor

“Gestos e Postura para Falar Melhor” (Ed. Saraiva, 6ª edição, S. Paulo, 1988) é o segundo livro de Reinaldo Polito, o primeiro livro do gênero, no Brasil. Obra específica para orientar a postura e a gesticulação ao falar. O estilo é agradável, coloquial, uma conversa com o leitor. Muito bem ilustrado. As fotos falam por si. Às vezes são expressivas, cômicas (p. 29), o texto elucida, completa. 
O autor enfatiza suas asserções com exemplos do cotidiano ou com alusões literárias ou cinematográficas. Dá lições de elegância, discrição, contrariando certa linha populista de políticos e professores que se vestem aparente e deliberadamente com desleixo e descaso, como se isto os fizesse mais identificados com o público, com o povo. São conselhos sábios e equilibrados. Realça-se o humor, passagens da vida real, com personagens políticas, da televisão e do cinema. 
Trecho de muito interesse é o que trata dos gestos abaixo da linha da cintura (p. 47), assim como o exagero dos gestos acima da linha da cabeça (pp. 48, 49). Há também pequenas narrativas pitorescas, espécie de anedotário do autor, depoimentos, fatos ocorridos durante os cursos. 
É interessante a alusão do relacionamento de várias realidades com a mesma gesticulação (pp. 102, 104) com muitos exemplos e riqueza de vocabulário, a partir das páginas 102, 104, 106 e 108. Há orientações práticas devidamente ilustradas para gestos que exprimem as mais variadas ideias de movimento, direção, tentativa de concretizar o abstrato, exprimir posicionamentos, atos de ouvir, cheirar, gestos para indicar o Deus, o Diabo, acusação e grande diversidade de verbos de rica conotação.
O capítulo IV fala do posicionamento do tronco e da cabeça; aí se tem uma informação que explica muito a naturalidade do autor do livro, do professor de oratória e, pessoalmente, da desinibição do comunicador Reinaldo Polito: no depoimento da página 149, ele narra que já fez teatro quando jovem.
Na página 154 o autor fala da importância do sorriso e passa deste a uma citação sobre o riso, com excelente texto de Augusto de Lima. 
Na página 157 há um capítulo que valoriza a comunicação visual detectando atitudes que devem ser evitadas, e o capítulo VI ensina postura para se ler em público. No capítulo VII vem uma série de questões práticas de como se comportar diante das câmeras de televisão e algumas dicas finais, seguidas de exercícios, encerrando o livro com um meticuloso índice remissivo, para uma rápida localização das técnicas apropriadas para a expressão que se deseja conhecer ou treinar.
Na contracapa do livro há uma declaração de Bibi Ferreira, elogiando o livro “Gestos e Postura para Falar melhor”, de Reinaldo Polito, incitando o autor a escrever uma obra para ajudar os atores. Penso que este livro já pode fazer isto, assim como é de grande valia também para professores e principalmente para alunos do Curso de Direito.
Os dois livros de Reinaldo Polito (“Como falar corretamente e sem inibições” e “Gestos e postura para falar melhor”) são objetivos, inteligentes e eficazes. Eles próprios concretizam o melhor exemplo prático de uma comunicação eficiente e realizada. Isto se deve à erudição do autor, à sua observação lúcida e cuidadosa, e, principalmente, porque os dois livros são fruto não de uma teoria, mas de uma vivência árdua, séria e pertinaz. Conheci pessoalmente o autor e após, lendo seus dois livros, achei que ele poderia ser o modelo do grande pregador, citado por Padre Vieira, no famoso Sermão da Sexagésima. Reinaldo Polito é um grande orador, porque apresenta as cinco qualidades citadas por Vieira relativas à pessoa, à ciência, à matéria, ao estilo e à voz. Convence porque fala baseando-se em obras vivenciadas e não só em palavras. Prega também o estilo “muito fácil e muito natural”. Conhece bem a matéria da qual fala, por isso persuade. E possui a voz que, se não é um trovão do Céu que assombre e faça tremer o mundo, como a gosto do cultismo e conceptismo, é clara, agradável, expressando-se através de uma dicção perfeita. Talvez sejam essas as razões do grande sucesso do seu Curso de Expressão Verbal. Reinaldo Polito é bem o exemplo vivo da afirmação de Urteaga “Saber o que se quer e estar no que se faz”.

Atenção – para ler o comentário da Professora Ely Vieitez Lanes sobre o livro “Como falar corretamente e sem inibições” clique na indicação da obra nesta mesma página.