Curso de Expressão Verbal

Habilidade verbal e conteúdo fortalecem marketing pessoal - Tribuna Impressa - abr/04

Habilidade verbal e conteúdo fortalecem marketing pessoal

Uma aparência sem atributos de beleza pode ser compensada com vantagem pela eficiência da comunicação, mas é necessário conteúdo. É o que garante o professor de expressão verbal e escritor Reinaldo Polito, mestre em Ciências da Comunicação. Ao longo de 27 anos de pesquisas, ele desenvolveu desde técnicas para apresentações diante de grandes platéias, até sugestões para o aprimoramento para relações pessoais. O especialista enfatiza que, por mais desagradável que seja a aparência do indivíduo, ele poderá ser requisitado e admirado se tiver uma maneira agradável de expor suas idéias, se cultivar sua voz e sua forma de articular as palavras. É necessário levar em conta toda a experiência do ouvinte, a formação, anseios e preconceitos.
'Há muitos anos, havia em Araraquara um rapaz sem nenhum predicado para ser galã - baixinho, magrinho, cabelos lisos e espetados, que mais pareciam capim barba de bode, de família de condição remediada para pobre, mas de conversa tão cativante que ganhou o apelido de Bico Doce. Ele estava sempre desfilando com as meninas mais cobiçadas da cidade. Os outros rapazes, intrigados com a situação, se perguntavam o que o Bico Doce tinha. A resposta é simples; ele sabia se comunicar e fazia como ninguém seu marketing pessoal', conta Reinaldo Polito. Segundo ele, a pessoa que se sobressai pela expressão verbal, em geral, fala sobre todos os assuntos sem presunção, sabe ouvir com atenção, se apresenta de maneira bem-humorada, constrói as frases com vocabulário apropriado, gramática correta, pronunciando bem as palavras e sempre de forma natural, descontraída e interessante. E possuir todos esses atributos, não é somente uma questão de dom; requer dedicação. 'O falar bem é atuar sobre si mesmo. Todos têm potencial; basta compreender que fala bem quem consegue passar sua mensagem. Em geral, os Bico Doces estão sempre atentos e sabem empregar palavras que possam identificar seus pensamentos e as suas intenções da forma mais clara possível', salienta.

Ética

No entanto, Polito ressalva que a habilidade de comunicação é 50% do marketing pessoal forte; o restante é conteúdo. As palavras não podem ser proferidas de maneira vazia e irresponsável.
'As desvantagens físicas de uma pessoa perdem muito do seu caráter repulsivo naqueles que falam de maneira encantadora, mas a ética tem que prevalecer sempre. Um profissional medíocre não consegue se manter em evidência por muito tempo apenas com o poder da fala. É preciso ter conteúdo, conhecimento da área em que atua. O marketing pessoal tem que ser construído de maneira sólida e não através da manipulação. Essa ética também vale no campo pessoal', finaliza.