Curso de Expressão Verbal

Notícias Diário Web

http://www.diarioweb.com.br/noticias/corpo_noticia2.asp?idcategoria=195&idnoticia=124185


 
Comportamento

O poder da gentileza
São José do Rio Preto, 2 de agosto de 2009

Ariana Pereira


02:16 - A lei da ação e reação prevê que a cada força aplicada existe outra de mesma intensidade em sentido contrário. Apesar de ser uma lei física, a máxima pode ser aplicada em outras instâncias da vida. Exemplos disso são pequenas gentilezas que as pessoas fazem e que, de alguma forma, voltam para elas. Se todos adotassem ações e reações gentis, a sociedade seria menos intolerante e os ambientes mais saudáveis, sejam eles familiares, profissionais ou em qualquer instância social. Um pequeno gesto de gentileza é tão importante para influenciar e transformar comportamentos que há iniciativas para incentivar as pessoas a serem mais gentis. Sites, instituições e pesquisas abordam o tema. Um dos ícones dos pequenos gestos gentis no Brasil, conhecido como Profeta Gentileza, pregou pelas ruas do Rio de Janeiro que “gentileza gera gentileza”. Se até o menor dos gestos feito com carinho pode mudar as relações entre os seres humanos por que, então, as pessoas têm tanta dificuldade em ser agradáveis e gentis? Mestre em Ciências da Comunicação, professor de oratória, palestrante e escritor, Reinaldo Polito acredita que a maneira como as pessoas são criadas é um fator com forte grau de determinação da maneira como elas vão se relacionar com os outros e com o meio em que estão.

“Se os pais ajudassem dando orientação já seria um passo importante. Ensinar a relevância de dizer ‘por favor’, ‘muito obrigado’, ‘desculpe’, ‘com licença’, ‘bom dia’, ‘até logo’. São pequenos gestos que fazem enorme diferença. Não devemos nos esquecer também de que nem sempre a educação dos filhos é dada pelos pais. Em muitos casos, essa tarefa é deixada por conta de empregados que também não receberam boa educação. Essa é uma questão tão séria que o livro mais vendido no Brasil hoje é a obra do psiquiatra Içami Tiba, ‘Famílias de alta performance’”, analisa Polito. Não se trata apenas de adotar um comportamento pensando nos benefícios que tal postura possa trazer. É uma questão de ter tal posição mesmo que não se veja resultado instantâneo ou a longo prazo. Ser gentil pelo simples fato de que a vida merece pessoas mais mansas e comprometidas com o bem-estar de todos, não apenas consigo mesmas. Adotar a gentileza como um comportamento natural e espontâneo, segundo Polito.

“As crianças devem aprender regras de civilidade assim como aprendem a escovar os dentes, lavar as mãos, devolver objetos emprestados, não se apropriar do que não seja seu. Cabe aos pais ou responsáveis pela educação das crianças dar essas orientações. Estão enganados aqueles que pensam que esse aprendizado ocorre espontaneamente, fora de casa. Se os pais não ensinarem, as crianças não aprenderão. Se as pessoas não aprenderem quando crianças, dificilmente se comportarão bem quando adultas. Não é impossível mudar, mas fica mais difícil”, afirma o professor.

Sem tempo
Uma das principais desculpas que homens e mulheres contemporâneos têm para deixar de fazer as coisas, por mínimas que sejam, é a falta de tempo. Como ser gentil com uma criança na rua quando se está sempre atrasado cinco minutos? Como prestar atenção em quem precisa de um olhar ou um sorriso, se não se tem tempo para cuidar das próprias necessidades? Superar esse comportamento e aplicar pequenas alterações é o começo para uma existência mais leve e que garante mais leveza às relações cotidianas. “A desculpa mais constante é a falta de tempo. Mas eu acredito que, na verdade, é a falta de interesse em olhar para o outro. As pessoas que praticam a gentileza naturalmente não esperam retribuição. Fazem de coração. Mas, se algum retorno é esperado significa que não fez espontaneamente, mas sim com algum interesse ou mesmo carência emocional. Ela faz algo esperando que o outro supra seu vazio depois”, afirma a terapeuta floral Carolina Arêas. Ela diz ainda que tais gestos independem de endereço: “Ser gentil é uma postura interna que se reflete naturalmente em seus atos; você não mede a reação do outro e nem vive esperando retribuição para ser assim, você apenas é”.

E, ainda que um comportamento gentil não deva buscar recompensas por ser assim, claro, o ambiente no qual está uma pessoa gentil devolve a ela as gentilezas que esparrama entre os relacionamentos que tem. Pode ser com alegria, com outras gentilezas ou qualquer outro tipo de benefício que não é palpável, mas sensível. Polito afirma que a gentileza cria um ambiente favorável para estreitar relacionamentos e afastar antipatias. Por meio de um posicionamento gentil frente ao mundo é muito mais fácil conquistar a boa vontade daqueles com quem se relaciona, ainda que tais pessoas sejam famosas por serem carrancudas ou mal educadas. Entra em ação, mais uma vez, a lei de ação e reação. “Qualquer um pode e deve ser gentil. Gentileza é uma qualidade que nunca sai de moda, nunca fica ultrapassada. Como é um comportamento mais raro nos dias atuais, quem é gentil passa a ser notado com mais facilidade.

Pequenos gestos como agradecer a um favor recebido, pedir licença quando sentir que vai incomodar alguém de alguma maneira. Segurar uma porta para que a pessoa entre. Agradecer quando fazem isso por você. Ouvir sem interromper. Não ser invasivo telefonando para a casa da pessoa antes de nove e meia ou dez horas da manhã, nem depois da dez da noite, a não ser que seja muito necessário ou tenha certeza absoluta de que não irá incomodar. Ser gentil não custa absolutamente nada. É fácil de ser aplicado. E dá resultados excepcionais. É só vantagem”, diz o escritor.

Pequenos gestos
Para os que ficam esperando a oportunidade de grandes gestos, de realizar ações mirabolantes para transformar a sociedade, a terapeuta floral Carolina dá a dica: um pequeno sorriso, um olhar amigável são gestos pequenos, mas que tocam o outro de maneira profunda. “Há pessoas que não acreditam poder colaborar com um mundo melhor porque não têm recursos financeiros para isso. A falta de recursos financeiros não se relaciona com o ser gentil, com o olhar solidário ao próximo.” Polito concorda com a terapeuta e completa com o que aprendeu com a própria história. “Fui criado em um bairro pobre, onde só o chefe da família trabalhava e ganhava muito pouco. Algumas famílias chegavam a ter doze, treze pessoas morando na mesma casa. Nunca essas pessoas deixaram de ajudar um vizinho, de prestar solidariedade a alguém da família porque não tinham dinheiro. Ao contrário, as mais abastadas, quase sempre, eram as mais resistentes e distantes. Se as pessoas tivessem o mesmo comportamento, sem dúvida o mundo seria muito melhor. Cada um de nós pode fazer a sua parte.”

E se todos esses motivos apresentados para que se adote um comportamento mais gentil não foram o suficientes, a ciência reforça com resultados de pesquisas: ser gentil faz bem à saúde. De acordo com o professor Polito, muitas doenças são provocadas pela forma como as pessoas vivem. Os que se comportam sempre de forma irritada, esbravejando, evitando contatos, com grosseria, estão mais propensos a contrair doenças. “Há poucos dias um aluno médico discutia em sala de aula sobre os alimentos que fazem mal à saúde. A conversa começou por causa de uma matéria científica que dizia que os alimentos não prejudicam a saúde como se apregoa. Ele teve uma tirada genial, disse que para cuidar da saúde é mais importante avaliar com quem você come do que propriamente o que você come.”


O profeta Gentileza
José Datrino se tornou o Profeta Gentileza após a tragédia do Gran Circus Americano, em Niterói (RJ), em dezembro de 1961. Ele ofereceu consolo e solidariedade aos parentes das vítimas e, após isso, começou a andar pelo País espalhando sua pregação de desprendimento ao mundo material e valorização do sentimento gentil. Andava sempre com uma túnica branca, cabelos e barba longos e era visto frequentemente na estação das Barcas, na Central do Brasil e na Rodoviária, locais de altíssima concentração de pessoas. Em 56 pilastras que sustentam o Elevado do Gasômetro, o Profeta eternizou sua mensagem de amor, respeito e crítica social. Faleceu em 1996 em Mirandópolis (SP), sua cidade natal.

Fonte: www.gentileza.net,

DICAS:

No site www.gentileza.net, além de exemplo de comportamentos gentis, as pessoas podem escrever os próprios conselhos a respeito da gentileza. Confira algumas frases:

Gentileza é...
:: Recolher a sujeira que seu bichinho de estimação deixar na rua. Tenha certeza que, se pudesse, ele faria essa gentileza!
:: Deixar a faixa de pedestres livre para quem está a pé. Afinal, amanhã pode ser você quem precise atravessar a rua, não é mesmo?
:: Ceder passagem para ambulâncias, bombeiros e carros de polícia. Travar o caminho pode ser a diferença entre a vida e a morte para alguém
:: Ceder a vez no trânsito. Este é um gesto que vai lhe custar apenas alguns segundos e faz toda a diferença para o próximo!
:: Deixar o celular em vibracall em lugares públicos. Ninguém merece ficar ouvindo tons ou musiquinhas que não escolheu...
:: Ser breve ao celular quando estiver acompanhado
:: Não apoiar os pés na poltrona da frente, mesmo que ela esteja vazia. Já pensou se você, ao se recostar, encontrasse uma sola de sapato?
:: Mostrar aos seus filhos como é importante se comportar em um restaurante. Ser educado é ser gentil!
:: Ceder a vez, ou o lugar, para idosos, gestantes e deficientes físicos. Nem precisava regulamentar esta cortesia, não é?
:: Usar “bom dia”, “boa tarde”, “boa noite”, “obrigado”, “por favor”, “desculpe” e “com licença”. Além de gentil, isto pode abrir uma série de portas para você
:: Esperar com paciência a sua vez de ser atendido, no banco, na loja etc...

Fonte: www.gentileza.net
 

 Faça um curso com Reinaldo Polito