Curso de Expressão Verbal

Supere a timidez e saiba vender seu peixe

Portal IG

 

Você tem um bom currículo, assim como os demais. A diferença é a forma de contar isso

Falar bem sobre você pode ser o ponto de desempate em um processo de recrutamento para uma vaga de estágio ou trainee. E segue igualmente importante na hora de uma promoção ou aprovação de um projeto sob sua responsabilidade. Mais do que um dom, fazer uma boa apresentação leva em conta técnicas que são ensinadas em cursos de oratória. Para conhecer algumas dessas táticas, o portal iG Estágio e Trainee ouviu um especialista em oratória, Reinaldo Polito, que atende as maiores empresas do Brasil e personalidades do mundo artístico e executivo como a apresentadora Sabrina Sato e o presidente do Google Brasil, Alexandre Hohagen.

Polito, que há 35 anos dá aula de como falar bem, afirma que as técnicas de oratória podem ser aplicadas na faculdade, em entrevistas, dinâmicas de grupo. “Sabemos que hoje os candidatos geralmente têm as mesmas qualificações e precisam se diferenciar em algo, ele precisa expor com clareza todas suas informações”, ressalta. Segundo o especialista, durante a carreira, quanto mais o profissional avança, mais vai precisar dessas técnicas de comunicação.

No curso de oratória, é avaliado o ritmo, a pausa, a expressão corporal do aluno, características que são transportadas para uma situação formal (profissional, acadêmica ou social) sem mudar o jeito de ser do aluno. São trabalhados ainda o vocabulário de acordo com a situação, os vícios (como o “né', o “tá” e as pausas como o “ahnnn”), além da organização das idéias a serem expostas.

Veja abaixo dez das principais dicas para falar bem em público que o iG Estágio e Trainee selecionou com o especialista:

Conheça o assunto com profundidade antes de se apresentar. Isso passa segurança e credibilidade sobre o que está sendo dito.

Saiba ordenar a apresentação (com início, meio e fim). O roteiro completo para organizar sua fala é: conquistar o ouvinte, contar o assunto, explicar o problema, dar a solução, afastar a resistência, concluir e propor a reflexão para o público.

Controle o volume de voz para o ambiente. Olhe ao redor, veja se não há janelas, entradas de ar e microfone. Por exemplo, em uma sala grande convém falar alto e em uma sala pequena ou silenciosa, é melhor falar em um volume mais baixo.

Boa dicção. Ter clareza sem forçar a pronúncia. Para melhorar a sua dicção faça o seguinte exercício: coloque um dedo (ou uma caneta) na boca, prenda entre os dentes e leia um texto de revista em voz alta, após dez dias já é perceptível uma maior clareza na fala.

Alterne o ritmo e a velocidade da fala. Isso ajuda a envolver o ouvinte e torna o assunto mais interessante. Exercício: ler poemas em voz alta.

Saber adaptar o vocabulário com o ambiente e o nível intelectual do público. Os jovens devem ter cuidado com o uso de gírias e palavrões que passam uma imagem negativa.

Cuidado com a gramática. Evite cometer erros grosseiros, mas sem ser perfeccionista.

Postura. Se estiver sentado para a apresentação, cruze as pernas ou mantenha os dois pés no chão, sem cruzá-los, não se debruce sobre a mesa, nem gesticule demais. Em pé, distribua o peso do corpo sem rigidez e todo movimento deve ter uma relação com a informação apresentada, evite ficar imóvel ou gesticular demais.

Olhar o público. Olhe as pessoas sem fugir do olhar delas (pode passar a ideia de inibição ou falta de educação). Para olhar sem encarar,fixe-se no grupo e circule o olhar ao longo do público, de um lado para outro. Esta ação prestigia seus ouvintes e quebra a rigidez.

Falar com naturalidade e emoção sem ser artificial. Mostre entusiasmo e que o assunto importa para o público.