< Página Anterior

26 mar 2019

Aprenda a quebrar regras

Já pensou se você resolvesse seguir ao pé da letra tudo o que os professores de administração de empresas ensinam na faculdade? Teria grandes chances de dar com os burros nágua e de ser mais um empreendedor a ter histórias mal-sucedidas para contar.
E antes que me linchem pela blasfêmia quero esclarecer que não tenho nada contra os conceitos pregados pelos papas da administração de empresas, afinal, sem eles, o mundo corporativo talvez se tornasse um caos. O problema reside no fato de se transformar em dogmas regras que precisam ser adaptadas e até desprezadas de acordo com as circunstâncias.
Com as regras da comunicação ocorre o mesmo. Aparece alguém com prestígio no assunto, sugere uma conduta e em pouco tempo tem gente adotando a cartilha como se fosse uma oração. Lógico que as regras de comunicação ajudam, eu mesmo já escrevi doze livros e estou há décadas repassando-as a milhares e milhares de alunos. Mas, tão importante quanto seguir as regras para se tornar um comunicador bem-sucedido é ter a lucidez de saber o momento certo para quebrá-las e ser mais bem-sucedido ainda. Por isso, decidi falar sobre essa que considero a mais importante de todas as regras da boa comunicação – a arte de quebrar regras.
Você tem não apenas o direito, mas também, e principalmente, a obrigação de questionar e refletir sobre cada uma das regras que aprendeu sobre comunicação. E por mais estranho que possa parecer, se chegar à conclusão de que a partir da sua característica e do seu estilo seria mais interessante atropelar esses “princípios” cristalizados para o comportamento do orador, com maiores possibilidades de se sair bem, vá em frente. Você será sempre o responsável pelo sucesso e pelo fracasso de suas apresentações. Assim, é melhor agir de acordo com suas próprias decisões a se submeter ao que outras pessoas imaginam ser mais indicado.
Quebrar regras, entretanto, não significa ser irresponsável e começar a fazer tudo o que lhe der na telha. Lembre-se de que se o caminho escolhido não der resultado você é quem arcará com as conseqüências.
Só como exemplo, vou comentar sobre uma regra que há muito tempo se alojou no livro de cabeceira de alguns oradores, e que está relacionada ao uso de recursos audiovisuais. Desde a época do retroprojetor as pessoas aprenderam uma regra que ultrapassou a chegada dos projetores multimídia e reina soberana até hoje. Quando uma empresa me contrata para orientar seus executivos e quer ênfase especial na utilização dos recursos audiovisuais, quase sem exceção, o responsável pelo evento me diz para ensinar aos cabeças-duras dos diretores e gerentes que não devem passar na frente do aparelho de projeção quando estiverem falando. Se eu perguntasse a ele por que, ou dissesse que essa observação não seria tão relevante, poderia ser barrado antes mesmo de começar o trabalho. Por isso, como resposta, olho com aquela cara de cumplicidade, como se dissesse, deixa comigo que vou botar essa turma na linha. Durante o treinamento explico que não há nada de errado em passar na frente do aparelho de projeção de vez em quando. Ao contrário, pode até ser uma atitude útil para quebrar o foco de atenção dos ouvintes que com o tempo vai ficando viciado. Mas, para não trair a confiança de quem me contratou e ser coerente com meu papel de educador, complemento dizendo que muitas pessoas aprenderam que passar na frente do aparelho de projeção é uma falta grave, por isso, mesmo não se constituindo em erro, é melhor evitar essa atitude, pois poderiam ser criticados.
Minha sugestão é para que você siga as regras, pois elas ajudam e dão segurança, mas sinta-se livre para, de vez em quando, falar com as mãos nos bolsos, sentar na mesa, dizer uns palavrões, desde que essas atitudes contribuam para o sucesso das suas apresentações.

Integer ultrices pulvinar sem et lacinia. Mauris sed magna nibh. Suspendisse vestibulum dui libero, sit amet feugiat velit iaculis vel. Aliquam fermentum id ipsum congue facilisis. Aliquam ac nisl diam. Praesent ac euismod diam. Duis nec lorem efficitur, malesuada orci at, dictum libero. Mauris congue suscipit dolor, id auctor ligula lobortis a.

Deixe uma resposta

AULA DE APRESENTAÇÃO GRATUITA