< Página Anterior

03 jul 2018

Avise que vai encerrar

por Reinaldo Polito

Uma boa regra a ser seguida para elaborar uma apresentação de sucesso é fazer as passagens de uma parte para outra sem que sejam notadas. As transições naturais, ligando de forma espontânea uma parte a outra, farão com que os ouvintes recebam a mensagem como se fosse apenas uma única informação, desde o princípio até o final. Essas passagens imperceptíveis também ajudarão a garantir uma das mais importantes qualidades de uma exposição que é a interdependência das partes – a relação que deve existir entre as informações do início, da preparação, do desenvolvimento e da conclusão.
Há uma exceção. Desde o início até o final a única parte que se recomenda anunciar é a conclusão. Quando você avisa os ouvintes que irá iniciar a conclusão, eles se preparam com mais atenção para ouvir a mensagem final, pois, até por intuição, sabem que no momento de encerrar o orador costuma deixar informações importantes, uma espécie de essência do assunto que foi abordado. Assim, aquele que imagina ter perdido algum dado relevante concentra-se ainda mais para compreender melhor a matéria transmitida, ou recuperar pontos perdidos por desatenções momentâneas.

Entretanto, existe uma corrente contrária a essa tese. Dizem aqueles que condenam o fato de se avisar os ouvintes que a apresentação irá encerrar, a existência de um risco, pois se o orador, por algum motivo não puder concluir, produzirá uma decepção na platéia e o resultado do discurso poderá ser prejudicado. Como refutação a essa objeção, posso dizer que se alguém avisa que vai encerrar é porque tem mesmo intenção de concluir, e, se por acaso, esse fato não ocorrer é porque algum motivo muito importante surgiu e que outras informações relevantes precisaram ser acrescentadas. E os próprios ouvintes entenderão que a fala se estendeu um pouco mais por causa dessas informações. Outro argumento forte em defesa desse recurso é que a fonte de onde extraímos a teoria da arte de falar em público são os oradores vitoriosos. Praticamente todos eles, de maneira generalizada, avisam que estão partindo para a conclusão. Costumo colecionar gravações com discursos desses oradores e quase todos eles encerram com alguns dos seguintes avisos: “e para encerrar”, “no momento em que encaminho minhas palavras para o final”, “e quando chega a hora de concluir” e outros semelhantes. Ora, se esses grandes oradores, que servem de exemplo para o estudo da comunicação, por causa do sucesso que granjearam diante das mais diferentes platéias, se valem do recurso de avisar que irão concluir a apresentação, por que nós não podemos agir da mesma maneira? Por isso, ao se encaminhar para a conclusão da fala avise que irá encerrar e aumente assim a atenção dos ouvintes. A partir de agora comece a prestar atenção nos bons oradores e constate como eles se valem desse precioso recurso.
Esses e outros conceitos são desenvolvidos no curso de expressão verbal ministrado pelo Professor Reinaldo Polito.
Escolha o mais apropriado para você – Cursos

“Terminantemente proibida a reprodução sem autorização expressa do autor”

Integer ultrices pulvinar sem et lacinia. Mauris sed magna nibh. Suspendisse vestibulum dui libero, sit amet feugiat velit iaculis vel. Aliquam fermentum id ipsum congue facilisis. Aliquam ac nisl diam. Praesent ac euismod diam. Duis nec lorem efficitur, malesuada orci at, dictum libero. Mauris congue suscipit dolor, id auctor ligula lobortis a.

Deixe uma resposta

AULA DE APRESENTAÇÃO GRATUITA