< Página Anterior

03 jul 2018

É duro falar quando os argumentos são frágeis

por Reinaldo Polito

Se falar diante de um grupo, com argumentos fortes e poderosos, defendendo uma causa praticamente ganha, às vezes, é uma tarefa difícil de ser cumprida, imagine, então, quando você conta apenas com argumentação frágil e inconsistente. Você olha para as pessoas passivas sentadas a sua frente, que aguardam a mensagem quase sempre sem desconfiar da revoada de borboletas em seu estômago. Com a adrenalina fervendo no sangue, o máximo que você consegue pensar é – o que será que fiz na vida para merecer esse castigo?
O pior é que nem você acredita no que vai falar. E, talvez, fosse o primeiro a criticar o orador que ousasse se apresentar com aqueles argumentos.

Pois é, há momentos na vida que para atingirmos um objetivo maior somos obrigados a passar por etapas penosas, que servirão como trampolim para outros estágios dos nossos projetos. Se essas fases não forem cumpridas, não teremos condições de aspirar a outros patamares. Para a causa que abraçamos é questão de vida ou morte.
Nessas circunstâncias só temos uma saída. Embora façamos uso dos argumentos, sabemos que não vamos contar com eles para conquistarmos a vitória. Assim, a função desses soldados esfarrapados, que mais se assemelham à guarda de elite de Sadam Hussein, no dia seguinte à invasão Americana ao Iraque, é a de servir de meio para que uma estratégia arrojada seja tentada. E falo tentada porque as chances de sucesso são tão remotas que, se obtivermos êxito, teremos motivos de sobra para comemorações. Tudo dependerá única e exclusivamente da sua atitude. Diante da platéia você deverá se comportar como um bravo, corajoso, audaz, destemido. Pelo volume da voz, pela expressão corporal, pelo vocabulário contundente e até agressivo, você mostrará aos ouvintes como está indignado com a injustiça que estão prestes a cometer, como estão enganados ao observar apenas os fatos superficiais, chegando a conclusões, ou tomando decisões sem analisar com profundidade as causas mais distantes e profundas que ensejaram os fatos atuais. Com toda veemência que puder utilizar, mostrará como nem sempre a maioria decidiu com a razão. Citará como exemplo o julgamento e a crucificação de Cristo, que foram precedidos da pressão e dos gritos ensandecidos da multidão, que, cega, pensava estar agindo com razão e com consciência. Reviverá os erros cometidos pré e pós-revolução francesa, em que a justiça feita de interesses e suposições não comprovadas acionavam, não raro, a guilhotina sobre pessoas inocentes. Pedirá maior reflexão, tempo de ponderação, trégua em benéfico de uma justiça que não pode ser precipitada, com o custo de estabelecer em cada um o remorso, que será carregado como um fardo sem chances de revisão, de reparos ou arrependimentos. Encerrará não com argumentos, mas sim com lágrimas, com voz embargada suplicando a generosidade, a compreensão, o coração aberto para que as idéias boas e verdadeiras tenham chances de prevalecer. Os argumentos, quando utilizados, deverão ser apresentados sempre em grupo, em conjunto, para que a quantidade possa, quem sabe, compensar a evidente fragilidade.

Sei que você deve estar pensando – mas, isso é muito difícil. Vai exigir uma capacidade de interpretação de um verdadeiro e competente artista. Talvez. É bem provável que sim. Mas, se a sua causa maior for honesta, íntegra e necessária para que pessoas, entidades ou propostas sejam beneficiadas. E se você estiver mesmo decidido a lutar com todos os meios para ver concretizado um sonho tão importante, prepare-se para derramar lágrimas e implorar. Afinal, ou você tenta esse último e derradeiro recurso ou joga antecipadamente a toalha e começa a aplaudir os adversários. Eu disse que essa não é uma tarefa fácil. Mas, saiba também que não é uma empreitada impossível. Muitas causas, aparentemente fracassadas, se transformaram em vencedoras apenas pela atitude corajosa e obstinada dos seus defensores. Caberá sempre a você decidir até que ponto valerá a pena lutar por aquilo que acredita.
Esses e outros conceitos são desenvolvidos no curso de expressão verbal ministrado pelo Professor Reinaldo Polito.
Escolha o mais apropriado para você – Cursos

“Terminantemente proibida a reprodução sem autorização expressa do autor”

Integer ultrices pulvinar sem et lacinia. Mauris sed magna nibh. Suspendisse vestibulum dui libero, sit amet feugiat velit iaculis vel. Aliquam fermentum id ipsum congue facilisis. Aliquam ac nisl diam. Praesent ac euismod diam. Duis nec lorem efficitur, malesuada orci at, dictum libero. Mauris congue suscipit dolor, id auctor ligula lobortis a.

Deixe uma resposta

AULA DE APRESENTAÇÃO GRATUITA